Ir para o Topo

27 de setembro de 2019

Edenred Brasil elimina copos plásticos e reduz emissões de CO2 em sete toneladas

Multinacional francesa do setor de meios de pagamentos, a Edenred vem promovendo mudanças de hábito simples entre seus 1.800 colaboradores, visando à redução do impacto de suas atividades no meio ambiente. Com a simples troca de copos descartáveis por canecas de uso individual, no final do ano passado, a empresa deixou de gerar 2 toneladas de lixo plástico, reduzindo sua pegada de carbono.

A vida útil de um copo plástico descartável é de 13 segundos, mas leva gerações para se decompor na natureza – até 450 anos, dependendo da espessura e da composição do material. Pode-se dizer que o copinho que jogamos no lixo hoje ainda estará lá quando nossos tataranetos forem velhinhos. Durante o processo de fabricação, cada copo, que é usado uma única vez por tão pouco tempo, consome 3 litros de água. Só no Brasil, são consumidos diariamente 720 milhões de copinhos – o equivalente a uma pilha de 54.040 km/dia, 14 mil km a mais que a circunferência da Terra. Faça uma conta simples e você verá que é muita água desperdiçada.

Hoje, o copo descartável é o resíduo sólido urbano menos reciclado do planeta devido ao baixo custo de mercado. Cada quilo de copo descartável vale apenas R$ 0,20. Por isso, ele acaba indo parar nos lixões, rios, lagos e oceanos, juntamente com sacolinhas plásticas, canudinhos e garrafas PET. Justamente por terem se tornado um problema ambiental, itens descartáveis de plástico, como canudos e copos de poliestireno, serão proibidos na União Europeia a partir de 2021. No Brasil, algumas cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, já baniram o uso de canudos e sacolinhas que não sejam recicláveis ou reutilizáveis. E as empresas preocupadas com a sustentabilidade vêm buscando soluções para os resíduos sólidos que produzem, diminuindo sua pegada de carbono.

A Coca-Cola Brasil, por exemplo, lançou, no ano passado, a campanha Mundo sem Resíduos, que reviu o processo de fabricação e descarte das embalagens de seus produtos, com destaque para o lançamento da chamada garrafa universal RefPet (do inglês refilable PET, ou PET reutilizável), que tem capacidade para até 25 ciclos de utilização e serve para todos as linhas de refrigerantes. Com isso, anualmente a empresa deixou de colocar mais de 200 milhões de PETs no mercado. A ideia é que as pessoas retomem o hábito de retornarem as embalagens para as lojas quando forem comprar outra, como acontecia há 76 anos, quando a Coca-Cola desembarcou no Brasil.

Mudança de hábito foi o que a Edenred Brasil promoveu entre os 1.800 colaboradores das quatro marcas que compõem o grupo – Ticket, Ticket Log, Repom e Edenred Soluções PréPagas. Nos cinco primeiros meses deste ano, a empresa deixou de consumir 800 mil copos descartáveis – aproximadamente 2 toneladas de plástico – ao estimular a adoção de canecas individuais no dia a dia do escritório. Com isso, deixou de emitir o equivalente a 7 toneladas de CO2e na atmosfera, reduzindo sua pegada de carbono.

Colaboradores da Edenred usam canecas de porcelana no lugar de copos descartáveis (Foto: Divbulgação)

A troca de copos descartáveis por canecas de porcelana começou em 2010, nas unidades do grupo localizadas em Porto Alegre e Campo Bom, no Rio Grande do Sul. Desde então, mais de 5 milhões de copos plásticos deixaram de ser consumidos e descartados no planeta. O sucesso da ação levou os escritórios de São Paulo e Alphaville a adotar a prática, que depois foi expandida para todas as empresas do grupo.

“Se considerarmos que no período de oito horas uma pessoa usa, em média, quatro copos descartáveis, temos uma importante contribuição na redução de resíduos circulando no meio ambiente todos os dias”, diz José Amaro, diretor de Recursos Humanos da Edenred Brasil. “Ações como essa mostram que pequenas mudanças em nossa rotina diária, como reduzir o uso de copos plásticos descartáveis, imprimir menos, economizar água e energia, fazer escolhas mais conscientes na hora da alimentação e do deslocamento, entre outras, fazem grande diferença no futuro.”

Pessoas, natureza e progresso responsável

Segundo Amaro, o compromisso com a natureza faz parte da Política Ambiental e das diretrizes de sustentabilidade que norteiam as práticas de negócios da empresa. Elas se apoiam em três pilares – melhorar a vida das pessoas, preservar o meio ambiente e criar valor de forma responsável. Com isso em pauta, a empresa cria ações para reforçar esses pontos de apoio, direcionando seu investimento social ao incentivo de hábitos de alimentação e vida mais saudáveis, esporte, cultura, mobilidade, assistência social, educação e formação de jovens para o mercado de trabalho.

A empresa acredita que essas ações fazem parte da construção de uma sociedade mais justa, e as iniciativas são realizadas por meio de investimento direto, leis de incentivo fiscal e voluntariado. No ano passado, os investimentos sociais da empresa somaram R$ 5,2 milhões, sendo R$ 150 mil para programas de apoio a doentes de câncer, R$ 740,8 mil a iniciativas relacionadas a idosos, R$ 643,3 mil para crianças e adolescentes, R$ 740,8 mil para o esporte e R$ 2,9 milhões para projetos culturais.

O apoio voluntário a projetos sociais é incentivado na empresa, que, no ano passado, criou a Edenred Social, uma plataforma que facilita o engajamento dos colaboradores em causas sociais. A plataforma lista vários projetos, de ONGs das mais diversas áreas, que necessitam de trabalho voluntário ou de doações, e o colaborador escolhe aquele como e com o qual quer contribuir.

Um desses projetos é o Programa Social Pescar, que visa à iniciação profissional de jovens entre 16 e 19 anos em situação de vulnerabilidade social. Desenvolvido pela Fundação Projeto Pescar e apoiado há nove anos pela Ticket Log em Campo Bom (RS), o programa dá cursos técnicos sobre Gestão e Negócios, Manutenção, Produção e Processos, Ambiente e Saúde, Informação e Comunicação e Petróleo e Gás. A maior parte da carga horária contempla conteúdos de desenvolvimento pessoal e cidadania, como autoconhecimento, família, saúde, sustentabilidade e relacionamento interpessoal e em grupo.

Ticket Log, empresa do Grupo Edenred, participa do curso de Iniciação Profissional do Projeto Pescar (Foto:Fundação Projeto Pescar)

A Ticket Log é uma das marcas da Edenred Brasil, que atua no segmento de gestão de despesas corporativas, frotas e soluções de mobilidade. No ano passado, a empresa contratou como jovens aprendizes os 18 alunos formados no curso de Iniciação Profissional em Serviços Administrativos do projeto Pescar, que contou com a contribuição de voluntários da empresa nas aulas teóricas e práticas. Ao todo, foram 532 horas de trabalho voluntário para ajudar esses jovens a ingressar no mercado de trabalho e ter a chance de transformar suas vidas.

Outra ação de voluntariado da empresa é o Idealday, um dia de mobilização global em que os voluntários da Edenred prestam serviços às comunidades locais, colocando em prática os três pilares nos quais a empresa se apoia. Em 2018, uma das atividades do Idealday foi a revitalização do Instituto CERN (Centro de Recuperação e Educação Nutricional), centro de referência internacional em educação nutricional localizado em São Paulo. Com o apoio de artistas, foi construído um painel para decorar o local. Os voluntários também realizaram uma oficina de alimentação saudável para crianças e criaram um pomar. Cerca de 100 voluntários participaram das atividades do Idealday em 2018, dedicando 388 horas a seis ONGs e beneficiando 132 crianças e jovens.

Voluntários da Edenred ajudaram na revitalização do CREN, em São Paulo, no Idealday 2018 (Foto: Divulgação)

Este ano, o Idealday aconteceu em 19 de junho e mobilizou 8.500 voluntários em 46 países. No Brasil, foram realizadas 15 atividades em quatro cidades, em parceria com o Instituto Ser + e o Instituto da Oportunidade Social (IOS). As atividades visaram à inclusão digital de idosos e a revitalização de ONGs para crianças, com pinturas, jardinagem e cozinha.

A companhia aproveitou a data para lançar uma parceria mundial com o “Le Projet Imagine”, uma organização sem fins lucrativos criada pela jornalista e escritora francesa Frédérique Bedos. Apostando no poder da mídia para espalhar o desejo de agir em larga escala e promover o engajamento cívico em massa, a ONG tem status de consultor especial no Conselho Econômico e Social das Nações Unidas. A entidade produz curtas, médias e longas-metragens para inspirar e impulsionar ações sociais que ajudem a tornar o mundo mais justo.  Este ano, Frédérique participou das atividades do Idealday no Brasil. No Instituto Ser +, a jornalista trocou experiências e participou de dinâmicas com voluntários da Edenred e com os alunos do instituto.

Frédérique deu uma aula sobre resiliência ao falar de sua própria história. Filha de pai haitiano e mãe francesa, a jornalista foi adotada ainda criança e teve a companhia de 20 irmãos, todos com etnias e origens variadas. “Viver com essa família adotiva, com origens e culturas tão diferentes, me ensinou muito sobre tolerância e respeito, pois são as diferenças que nos tonam humanos e nos possibilitam fazer do mundo um lugar melhor”, disse ela.

Respeito e tolerância também pautam outras ações da Edenred. Para promover a qualidade de vida em seus colaboradores, ao mesmo tempo em que coloca um propósito mais amplo entre os objetivos a serem alcançados, a empresa realiza o desafio mundial Edenraid, uma maratona do bem em que quilômetros percorridos a pé, de bicicleta, nadando ou correndo são transformados em sonhos. Para cada 10 km trilhados por seus funcionários, a Edenred doa € 1 para a Make-A-Wish Foundation, organização sem fins lucrativos que realizada os desejos de crianças diagnosticadas com doenças graves em diversas partes do planeta. No ano passado, mais de 2 mil colaboradores (399 no Brasil) de 41 países participaram do desafio e, juntos, percorreram 327 mil quilômetros – 33 mil dos quais trilhados pelos brasileiros, o maior resultado do grupo. Seis crianças foram beneficiadas pela ação a partir das doações acumuladas.

A conexão positiva não acontece apenas com o terceiro setor. A empresa valoriza as relações humanas dentro da companhia. “A qualidade de vida começa internamente, com nossos colaboradores”, afirma o diretor de RH José Roberto Amaro. “Buscamos oferecer um ambiente de trabalho mais criativo, colaborativo e inovador, no qual as pessoas podem gerenciar melhor seu tempo”. Amaro se refere ao programa Flexwork, que possibilita que os funcionários trabalhem alguns dias da semana em sistema de home office  e tenham horários de trabalho flexíveis, e ao novo modelo de escritório da Edenred em São Paulo, inaugurado no ano passado, com ambientes abertos que podem ser usados para trabalho e momentos de lazer, confraternizações, palestras e reuniões presenciais e remotas, tudo ao mesmo tempo. Em um dos andares foi criado um coworking com mesas compartilhadas e espaço para jogos.

Escritório no modelo open space em São Paulo: lazer e negócios em ambiente único (Foto: Divulgação)

O cuidado da Edenred com seus colaboradores, não apenas no Brasil, levou a empresa a figurar entre as 100 melhores para se trabalhar, segundo o Great Place to Work (GPTW), autoridade global no mundo do trabalho, que parte do princípio de que se as companhias oferecerem um ambiente de trabalho transformador, será “melhor para as pessoas, para os negócios e para a sociedade”. Para se manter como referência não apenas nos negócios, a empresa realizou a primeira Pesquisa de Clima Mundial EdenVoice no ano passado, ouvindo seus mais de 8.000 colaboradores. Eles puderam opinar sobre questões como engajamento, reconhecimento, clareza nas metas, expectativas, orgulho de pertencer e equilíbrio entre vida pessoal e trabalho. No Brasil, 91% dos funcionários responderam a avaliação, e o resultado apontou um engajamento de 78% – um dos maiores índices do Grupo.

Um dos pontos destacados na avaliação é a equidade de gênero na Edenred Brasil, onde 52% dos colaboradores são mulheres e 40% dos cargos de liderança são ocupados por elas – percentual que vem crescendo ano a ano. Para reforçar suas iniciativas de igualdade, a empresa aderiu aos Princípios do Empoderamento Feminino, da ONU Mulheres, e ao Movimento Mulher 360o, e passou a integrar uma rede de 100 empresas globais comprometidas em seguir práticas focadas no respeito e na igualdade de oportunidades para mulheres.

Diversidade e igualdade de gênero

Ao apoiar e respeitar a igualdade de gênero e a diversidade no ambiente de trabalho, a Edenred cria uma rede única e positiva entre empresas, comerciantes e empregados. De origem francesa e presente em 47 países, o Grupo é líder mundial em soluções transacionais. Em 2018, administrou cerca de € 28,1 bilhões em transações, das quais 78% foram feitas via cartões, dispositivos móveis ou internet. No Brasil, a oferta de produtos Edenred é baseada em três linhas de negócio: Benefícios ao Trabalhador (Ticket), Frota e Soluções de Mobilidade (Ticket Log, Repom e Edenred Soluções Pré-Pagas) e Soluções Complementares (Accentiv’). São mais de 130 mil empresas-clientes, 7 milhões de empregados beneficiados e 330 mil comerciantes credenciados.

Por ser um negócio tão amplo, que impacta a vida de tantas pessoas, a empresa tem uma preocupação constante com o meio ambiente. Tanto que cuidar do planeta é um dos pilares de sua estratégia de sustentabilidade. Para reduzir a pegada de carbono de suas atividades e produtos, a empresa faz o monitoramento constante de seus indicadores ambientais de consumo de recursos e geração de resíduos, estimulando a cultura interna de combate ao desperdício e desenvolvendo serviços e produtos que ajudem a criar soluções de menor impacto na sociedade.

Aqui no Brasil, a política ambiental da empresa traz cinco compromissos: proteção do meio ambiente, por meio da prevenção da poluição, do consumo sustentável dos recursos naturais e materiais e do gerenciamento dos resíduos; cumprimento da legislação ambiental; desenvolvimento de ações para a redução dos impactos ambientais e mudanças climáticas; conscientização dos colaboradores; e compartilhamento de práticas ambientais com seus fornecedores, clientes, redes e parceiros.

A troca dos copos descartáveis pelas canecas individuais, citada no início deste texto, atende aos cinco compromissos da política ambiental da empresa e integra as várias ações da companhia para a conscientização de colaboradores, prestadores de serviços e fornecedores sobre temas como consumo de água e energia elétrica, descarte correto de resíduos e reaproveitamento de materiais.

Leia também

3 de dezembro de 2019

74% das empresas adotam sustentabilidade para reforçar imagem e reputação

Pesquisa da Aberje a que NÓS teve acesso exclusivo revela que esse é o principal objetivo das corporações para a implementação de programas orientados à sustentabilidade. O desenvolvimento das comunidades do entorno das unidades de negócios (55%) e o cumprimento da legislação (47%) vêm em seguida. O estudo contou com a participação de 105 empresas […]

xxx

19 de novembro de 2019

Projetos sustentáveis da Statkraft no Brasil focam o empreendedorismo social

A companhia de energia renovável norueguesa mantém no país, como parte de seu programa de sustentabilidade, projetos de educação ambiental e de geração de renda que incentivam a produção e a venda de artesanato e produtos alimentícios e apícolas, beneficiando as comunidades carentes do entorno de suas unidades.  No Brasil desde 2012, a companhia norueguesa […]

5 de novembro de 2019

Projeto da FCA dá nova perspectiva de futuro a jovens em situação de vulnerabilidade social

Criado para  estabelecer um diálogo com a comunidade do entorno da fábrica da Fiat no bairro do Jardim Teresópolis, em Betim, o Árvore da Vida vem transformando o futuro de crianças e adolescentes por meio de oficinas socioeducativas e de formação pessoal. O projeto diminuiu a evasão escolar, aumentou a renda familiar dos participantes e […]

© Revista Nós - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de textos e imagens sem prévia autorização.