Ir para o Topo

20 de novembro de 2016

Sustentabilidade é a alma do negócio

Responsabilidade Social é um mantra repetido à exaustão nos corredores da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro – Firjan. A máxima de que a sustentabilidade do negócio, sim, depende do cuidado com o ambiente e outras iniciativas como a contratação de pessoas com deficiência, a educação infantil e o respeito à comunidade é tema recorrente nos seminários, cursos, palestras e workshops realizados pela Assessoria de Responsabilidade Social da entidade. “Não há dúvida que a melhoria na gestão, em sentido amplo, é a garantia da sustentabilidade do negócio”, diz a gerente de Responsabilidade Social do Sistema Firjan, Ana Cristina Nascimento.

Sustentabilidade é mesmo a palavra-chave desse negócio. A Assessoria de Responsabilidade Social foi criada em 2000 com a missão de subsidiar as indústrias do estado com métodos, ferramentas e processos de melhoria na gestão, levando em conta não apenas os objetivos econômicos, mas também os aspectos sociais e ambientais. No mesmo ano, o Sistema Firjan criou o Conselho Empresarial de Responsabilidade Social para introduzir nas empresas os conceitos de sustentabilidade e inclusão social. As reuniões do Conselho, que hoje reúne mais de 30 empresas, debatem e difundem as práticas de responsabilidade social, estratégicas para a sustentabilidade dos negócios. Àquela altura, o tema da responsabilidade social já estava na agenda estratégica das empresas em todo o mundo.

Como consultoria, o Sistema Firjan atua na elaboração de projetos de alcance social alinhados ao negócio. A lógica é que, sem boa gestão e no sentido amplo – que inclui ações de responsabilidade social –, o negócio não se sustenta. O trabalho consiste em cinco etapas: diagnóstico das práticas de responsabilidade social da empresa, mapeamento socioeconômico da comunidade, levantamento sobre atuação social das demais empresas do mesmo setor ou região, recomendação do investimento social e desenvolvimento de um projeto piloto.

“Cada vez mais, as empresas estão fazendo investimento social em negócios alinhados com a sua atividade”, explica a gerente Ana Cristina.

A atuação da assessoria técnica em meio ambiente se dá em amplo espectro. Propõe políticas públicas sobre o assunto e contribui com estudos e projetos relacionados a questões que impactam nos negócios da indústria, como licenciamento ambiental, resíduos sólidos, mudança do clima, biodiversidade, recursos hídricos, além de produção e consumo sustentáveis. Para o aprimoramento da gestão ambiental empresarial, o sistema Firjan produz ainda a Pesquisa de Gestão Ambiental na Indústria e Análise do Impacto da Transposição das Águas do Rio Paraíba do Sul e o Manual de Gestão Ambiental para Micro e Pequenas Empresas.

No amplo e diversificado cardápio de projetos ambientais do Sistema Firjan, constam também iniciativas integradas com a comunidade. Por meio do SESI-RJ e SENAI-RJ, o Projeto Cultivar procura mobilizar empresas, estudantes e toda a sociedade na recuperação da Mata Atlântica. A proposta é plantar, ao longo de cinco anos, um milhão de árvores nativas do bioma em áreas devastadas. Neste período, um milhão de alunos da rede de ensino SESI/SENAI terão como lição de casa aprender a preservar esse patrimônio ambiental. Em setembro último, numa das etapas do programa, crianças e jovens do Projeto SESI Cidadania da comunidade Santa Marta plantaram 200 mudas de árvores nativas nas encostas do morro Dona Marta, em Botafogo.

O que não faltam são ações e incentivos para mobilizar o empresariado na questão social. Em 2013 foi criado o Prêmio Firjan de Ação Ambiental para empresas que se destacaram em gestão ambiental e desenvolvimento sustentável. O evento, na forma de seminário, já contou com 1.400 participantes de cerca de 700 empresas, que debateram os mais relevantes temas do meio ambiente, de mudanças climáticas a recursos hídricos, de gestão sustentável das cidades a gerenciamento de resíduos sólidos, de logística reversa à economia circular.

Nos eventos, projetos e consultorias, palavras como inovação, capacitação empresarial e indústria criativa rimam com meio ambiente, saúde, educação e outros itens da agenda social. Em “Gestão em Responsabilidade Social Empresarial”, a assessoria utiliza o “Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho”, uma ferramenta de diagnóstico que identifica oportunidades para melhoria na qualidade do trabalho. Mais de cinco mil colaboradores de cerca de 60 empresas foram beneficiados. Em outro módulo, a empresa investe recursos financeiros, que são administrados pelo Sistema Firjan, para capacitação profissional e geração de renda para moradores de comunidades do Rio.

Outra ação é o “Programa de Formação Integrada da Pessoa com Deficiência”, que tem como objetivo orientar as empresas no processo de recrutamento e seleção de portadores de deficiência no âmbito da Lei 8.213/91. O enquadramento à legislação, aliás, é um dos itens mais demandados à Assessoria de Responsabilidade Social. Nesse particular, o trabalho consiste em elaborar, enquadrar e implementar projetos socioesportivos ou socioculturais com base nas leis de incentivos fiscais, como a Lei Rouanet.

Um dos projetos socioesportivos, o Polo Aquático do Futuro, está sendo realizado na Unidade do SESI de Vicente de Carvalho, no Rio, com patrocínio do Instituto INVEPAR e do MetrôRio. O objetivo é promover o esporte educacional por meio de atividades que se baseiam em valores que contribuem para a promoção social, da saúde, da educação e do lazer para 100 crianças e jovens da região.

No Sistema Firjan, a Responsabilidade Social é um prato para todos os gostos. No projeto SESI Cozinha Brasil, uma bateria de palestras, oficinas e cursos práticos orienta os participantes sobre alimentação saudável e aproveitamento de ingredientes. No SESI Cozinha Brasil Infantil, os estudantes das escolas SESI e da rede pública municipal e estadual são orientados para práticas e hábitos saudáveis de vida; uma iniciativa adotada em conjunto com nutricionistas e merendeiras das escolas. É mais uma visão integrada da sustentabilidade. Esta, da vida humana.

Leia também

17 de setembro de 2019

ABA desenvolve competências socioemocionais em crianças em situação de vulnerabilidade social

Desde 2012, a Associação Beneficente dos Funcionários do Grupo Allianz Seguros (ABA) vem mudando a realidade da Comunidade Santa Rita, na Zona Leste de São Paulo, com um programa de atividades socioeducativas que ensina crianças e adolescentes a lidar com conflitos e emoções. Na Comunidade Santa Rita, na Zona Leste da capital paulista, as casas […]

3 de setembro de 2019

Multinacional americana IBM dedica 1,3 milhão de horas a trabalho voluntário

A gigante de tecnologia IBM lançou no Brasil, na semana passada, a IBM.org, plataforma que conecta funcionários ativos e aposentados a iniciativas de impacto social. O programa de voluntariado é apenas uma entre muitas iniciativas mantidas pela empresa para levar inovação, conhecimento e dedicação ao sucesso de organizações que constroem comunidades mais fortes em todo […]

19 de agosto de 2019

Projetos da FBB impactam a vida de 130 mil pessoas em todas as regiões do país em 2018

Ações apoiadas e desenvolvidas pela Fundação Banco do Brasil reforçam compromisso da instituição de valorizar vidas para transformar realidades; projetos socioambientais estão alinhados com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela Organização das Nações Unidas. A designer Luiana da Silva, moradora de uma favela no Rio de Janeiro, está fazendo cursos de capacitação em […]

© Revista Nós - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de textos e imagens sem prévia autorização.