Ir para o Topo

14 de maio de 2019

Um grão compartilhado para salvar o mundo

Parece ser de uma ambição oceânica uma empresa ter como política social promover qualidade de vida à comunidade, melhorar a saúde das crianças e, de quebra, salvar o planeta. Mas é o que consta nos objetivos traçados pela Nestlé no âmbito do conceito de Criação de Valor Compartilhado (CVC), a nova prática de Responsabilidade Social que vem sendo adotada pela multinacional nos 194 países onde atua. “A Nestlé é muito grande e temos um potencial enorme de mudar alguma coisa no mundo. Cada pequena mudança na Nestlé pode ser gigantesca”, diz Taissara

Martins, gerente de CSV da Nestlé no Brasil. No ano passado, aproximadamente 5 mil pessoas foram beneficiadas somente nas ações de voluntariado promovidas pela empresa, que opera no Brasil desde 1921.

Com base nessas propostas, a Nestlé assumiu globalmente uma série de compromissos públicos, como ajudar 50 milhões de crianças a ter vidas mais saudáveis; melhorar a condição de vida de 30 milhões de pessoas nas comunidades onde opera; e alcançar o impacto ambiental neutro nas operações. Tudo isso em consonância com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas — conjunto de 17 objetivos previstos para serem alcançados até 2030, que compreendem um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade. “Construí­mos um conceito novo, a CVC representa um misto da área de propósito com responsabilidade social”, explica Taissara. “Em tudo o que criamos em prol do planeta, das comunidades e da família, estamos compartilhando esse valor”, completa.

Empregada em todo o mundo pela Nestlé e por outras empresas, o conceito de Criação de Valor Compartilhado une o propósito da organização a áreas de atuação relacionadas tradicionalmente ao setor de responsabilidade social. Está dentro desse escopo o programa “Nestlé por Crianças Mais Saudáveis”, que foi reformulado no Brasil ano passado — até então, a iniciativa se chamava “Unidos por Crianças Mais Saudáveis”. A proposta é ajudar as novas gerações a crescerem mais felizes e com mais saúde. Financiada pela Fundação Nestlé Brasil, o projeto se divide em dois segmentos de atua­ção: melhorar hábitos alimentares das crianças junto a suas famílias e aprimorar a alimentação nas escolas. Tudo aliado ao incentivo à prática de atividades físicas.

Para transformar a rotina das crianças e estimular a criação de hábitos alimentares saudáveis, a Nestlé criou o aplicativo NesPLAY. Por meio do app, os pais têm acesso a ideias, receitas e atividades divertidas para crianças dos seis aos 12 anos mudarem de costume brincando. A ferramenta oferece aos responsáveis sugestões sobre os seguintes temas: “Escolha opções nutritivas e variadas”, “Brinque ativamente”, “Escolha beber água”, “Porcione as refeições“ e “Curta as refeições juntos”. Um time de nutricionistas elaborou o conteúdo do aplicativo baseado em pesquisas, realizadas globalmente.

No Brasil, foram detectados problemas como o sobrepeso das crianças, altos índices de sedentarismo e dificuldades de ficar longe dos smart­phones. “O NesPLAY é um aplicativo para pais e crianças usarem em conjunto. Resolvemos apoiar os responsáveis que, em muitos momentos, podem se sentir sozinhos e em dúvida com relação à alimentação dos filhos. Aliamos o universo digital presente na vida de adultos e crianças para trazer esse comportamento saudável para a rotina das famílias brasileiras”, acrescenta Taissara.

Para estimular avanços na alimentação na área educacional, a Fundação Nestlé lançou o “Prêmio Crianças Mais Saudáveis” em 2018. O prêmio surgiu com o intuito de encorajar comportamentos saudáveis em alunos das escolas públicas brasileiras, contemplando projetos de promoção de práticas de atividades físicas e educação alimentar e nutricional.

A iniciativa selecionou, entre os 200 projetos enviados, as dez melhores ideias para promover alimentação equilibrada e atividades físicas em escolas públicas municipais e estaduais. Participaram professores dos ensinos fundamental I e II de São Paulo e da Bahia, sendo cinco de cada um desses estados. Além do troféu e certificado, cada vencedor recebeu benfeitorias no valor de até R$ 35 mil para implementação do projeto na escola, além de formações presenciais e mentorias online.

Os projetos escolhidos envolveram questões desde o uso de literatura, brincadeiras e teatro, para falar sobre alimentação saudável, até a criação de um sistema que transforme a energia gerada a partir das atividades físicas humanas em energia elétrica, para aproveitamento no sistema eletrônico de irrigação por gotejamento da horta escolar.

Entre as unidades contempladas, uma que chamou a atenção dos organizadores foi a Escola Municipal D. Pedro II, localizada em Cafarnaum, no interior da Bahia. A escola não dispunha de copos e talhares em número suficiente para atender todos os alunos ao mesmo tempo. Com os benefícios conquistados pelo projeto, a unidade escolar vai ganhar um refeitório, geladeira, copos, talheres e utensílios que ajudarão as crianças a se alimentar com autonomia. Este ano as inscrições começam em fevereiro. A novidade é que o prêmio será aberto para escolas de todo o Brasil.

Outras informações sobre o programa “Nestlé por Crianças Mais Saudáveis” podem ser obtidas na página do projeto, no Facebook (NestlePorCriancasMaisSaudaveis/).

Transformar vidas

Melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável é um dos lemas que a Nestlé aplica no projeto “Jovens Transformadores em Campo”, desenvolvido em parceria com a Ashoka, umas das maiores redes de empreendedorismo social do mundo. Promovida pela Nescafé, a iniciativa visa apoiar jovens agricultores do Espírito Santo. A proposta é incentivar a sua permanência nas áreas rurais, dando instrumentos para que possam batalhar por uma vida rentável, produtiva e próspera, evitando o êxodo rural.

Em 2018, a Nestlé realizou um piloto do programa, na região de Águia Branca, apontada como uma área importante de produção agrícola fornecedora de café para a empresa. Um grupo de 30 jovens, com idade entre 17 e 26 anos (havia apenas um adulto de 31 anos) foi submetido a treinamentos nos pilares de Desenvolvimento Pessoal, Sustentabilidade, Empreendedorismo e Educação Financeira.

Os módulos envolviam desde atividades voltadas para o autoconhecimento até questões técnicas da cafeicultura. Por meio de tais ações, os jovens tiveram, ainda, a oportunidade de se conectar com empreendedores da mesma faixa etária da rede Ashoka. Segundo a executiva da Nestlé, as lavouras de café, frequentemente tradicionais, acabam não sendo atrativas para os jovens que, em muitos casos, vão para os grandes centros e conseguem apenas subemprego. “Falta uma janela de inovação para reter esses jovens, e quando mostramos que podem aplicar inovação naquele pedaço de chão, que é deles, todos ficam encantados”, diz a executiva.

Pesquisas realizadas antes e depois das aulas, questionando os jovens sobre seu interesse em desenvolver seu futuro na agricultura, mostraram uma tendência empreendedora entre os participantes. “Antes das aulas, a maior parte respondia que não sabia ou não queria se dedicar ao trabalho rural, mas após a realização do projeto, mais de 80% disseram que pretendem trilhar seu futuro na agricultura”, observa a gerente de CSV da Nestlé.

Em 2019, o projeto “Jovens Transformadores em Campo” deve ficar mais robusto e o número de participantes deve ser ampliado. Dessa vez, o desafio para os jovens será elaborar projetos ou fazer um trabalho de conclusão de curso.

Voluntariar faz bem

Ajudar faz bem. E a Nestlé abre oportunidade para que seus colaboradores possam contribuir em ações voluntárias em instituições sociais. Trata-se do programa “Voluntariar Faz Bem”, promovido pela Fundação Nestlé Brasil. As atividades são abertas a colaboradores, estagiários, terceirizados e aposentados da Nestlé e coligadas. Familiares ou amigos podem cooperar desde que sejam convidados pelos colaboradores.

A proposta da multinacional é melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável para pessoas e famílias, para as comunidades e para o planeta. Dessa forma, os voluntários participam de ações de promoção de hábitos saudáveis para crianças, capacitação de jovens para o mercado de trabalho e conscientização para o meio ambiente.

“Desenvolvemos intervenções em escolas, ajudamos na montagem de hortas e realizamos ações com PETs, como a construção de casinhas e caminhas para cachorros”, revela Taissara, destacando que também são realizadas ações, voltadas para as crianças, de conscientização sobre reciclagem de embalagens.

Um dos pontos altos do projeto é a Ação de Natal. Além de realizar um dia inteiro de atividades, cada colaborador escolhe uma cartinha e adota uma criança. No ano passado, 2.600 delas receberam presentes dos colaboradores da empresa.

Outra frente de trabalho voluntário incentivada pela Nestlé é a capacitação de jovens para o mercado de trabalho, com o Programa de Mentoria Online organizado em parceria com o Instituto Ser+, na Universidade São Judas, em São Paulo (SP). Com duração de três meses, a iniciativa contou com a expertise do Instituto Ser+ no contato com os jovens e com a Nestlé, na orientação profissional por meio de seus colaboradores e voluntários. A iniciativa proporcionou a troca de experiências e a elaboração de um plano a ser seguido pelos alunos nos próximos anos.

Ao longo do programa, os profissionais da Nestlé e os jovens conversaram sobre três macrotemas: autoconhecimento, empreendedorismo e exploração, que consiste em identificação de talentos e habilidades, incluindo um teste vocacional. Munidos dessas informações, mentor e aluno elaboraram em conjunto um plano de ação. Realizadas na maior parte do tempo de maneira virtual, as atividades foram acompanhadas de perto pelo Instituto Ser+, que ofereceu todo o apoio para o jovem e para a Nestlé.

O “Voluntariar Faz Bem” dispõe de plataforma digital (www.voluntariadonestle.org.br) por meio da qual os participantes acumulam medalhas ao participar das ações, ficam sabendo do calendário e da programação de atividades de seus comitês, distribuídos em mais de 20 cidades no país.

Sobre a Nestlé

É a maior empresa de alimentos e bebidas do mundo. Está presente em 194 países, e seus 328 mil colaboradores estão comprometidos com o propósito da Nestlé de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável.

A Nestlé oferece um amplo portfólio de produtos e serviços para cada etapa de vida das pes­soas e de seus animais de estimação. Suas mais de 2 mil marcas variam dos ícones globais, como Nescafé ou Nespresso aos favoritos locais como Ninho. O desempenho da empresa é impulsionado por sua estratégia de Nutrição, Saúde e Bem-Estar. Sua sede fica na cidade suíça de Vevey, onde foi fundada há mais de 150 anos.

No Brasil, instalou a primeira fábrica em 1921, na cidade paulista de Araras, para a produção do leite condensado Milkmaid, que mais tarde seria conhecido como Leite Moça. A empresa tem 31 unidades industriais, localizadas nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Goiás, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Espírito Santo. A corporação emprega mais de 20 mil colaboradores diretos e gera outros 200 mil empregos indiretos, que atuam na fabricação, comercialização e distribuição de mais de mil itens.

A atuação da Nestlé Brasil abrange 20 categorias de mercado, e suas empresas coligadas estão presentes em 99% dos lares brasileiros, segundo pesquisa realizada pela Kantar Worldpanel.

Leia também

10 de junho de 2019

Gigante do comércio eletrônico Mercado Livre tem os pés fincados na sustentabilidade

Presente em 18 países, a empresa cujo modelo de negócios é fonte de sustento para mais de 580 mil famílias latino-americanas promove o empreendedorismo digital, a inclusão financeira e a diversidade com práticas sustentáveis e inovadoras Vinte anos atrás, quando o comércio eletrônico ainda engatinhava, o Mercado Livre tinha sua imagem vinculada ao segmento de […]

30 de maio de 2019

Ações sustentáveis de ponta a ponta garantem terceiro lugar no ranking mundial ao Grupo Ferrero

Fabricante italiana de confeitos e chocolates divulga relatório de responsabilidade social corporativa com resultados dos programas socioambientais; escolas públicas de Poços de Caldas foram beneficiadas com projeto da empresa que promove a prática esportiva

22 de maio de 2019

Shopping de SP transforma lixo orgânico de praça de alimentação em ‘comida’ para horta urbana

Projeto Telhado Verde é exemplo de ecoeficiência, pois além de dar destino correto a resíduos sólidos produzidos no estabelecimento, beneficia 600 famílias com a doação de produtos livres de agrotóxicos

© Revista Nós - Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de textos e imagens sem prévia autorização.